Encontrar uma Missão

Missões são coisas que tendemos a associar a astronautas.

Se alguém em uma festa pergunta o que você faz e você responde que está envolvido em alguma espécie de missão, as pessoas olham meio torto.

Entretanto, na verdade todos seríamos beneficiados ao focar no propósito de nossas vidas, para que possamos nos referir a elas como missões de um ou outro tipo.

Quando o empreendedor Elon Musk estava na universidade, perguntou a si mesmo muito explicitamente qual seria sua missão na vida. Começou a questionar do que o mundo precisava mais urgentemente e olhou para si mesmo, para ver quais eram seus talentos, o que o levou a uma lista de quatro missões possíveis: exploração espacial, transporte elétrico, Inteligência Artificial e reescrever o genoma humano. No final, Musk escolheu as duas primeiras.

Poucos de nós aceitarão missões tão grandiosas como essas, mas a noção de ter uma missão, em vez de um simples emprego ou hobby, continua amplamente aplicável. Como, então, podemos aprender a adotar a mentalidade de missão?

– Primeiro, o que importa é adotar alguma seriedade sobre a própria vida. A parte do trabalho só durará, no máximo, 50 anos, então o desafio é em torno do foco: como reduzir a variedade de entusiasmos e ver que ter muitos interesses é metade do problema. Falar sobre uma missão nos força a afunilar o que nos importa a poucas coisas muito grandes: ela privilegia a precisão, não a amplitude. Você dá a si mesmo uma meta específica, ciente de quanta energia será necessária para atingi-la.

– Segundo, uma missão é uma questão de ter um plano e de reduzir a quantidade de vezes que alguém se deixa levar pelos planos dos outros por não ter uma meta clara.

– Uma missão é diferente de uma ambição. Uma ambição começa com o que você deseja, enquanto uma missão gira em torno da necessidade dos outros. Pessoas com missões podem acabar ganhando dinheiro e tendo status, mas isso não é o que as levou à missão. Missões dizem respeito ao valor intrínseco das tarefas.

– A busca por uma missão exige que você pergunte: entre todos os problemas que a humanidade enfrenta, quais realmente me interessam? Esteja atento a preocupações pequenas, mas autênticas.

– Depois de focar em um problema da humanidade que lhe atrai, você precisa olhar honestamente para as próprias aptidões. Quais realmente são seus talentos? O que você pode contribuir? Isso pode exigir muita introspecção, aconselhamento de carreira e experimentação.

– Assim, sua zona diferencial é onde suas habilidades e aptidões cruzam com as necessidades do mundo: é aí que sua missão está.

– Uma missão não é uma missão por ser grandiosa, mas sim por ser precisa. Exemplos de missões modestas, mas cruciais, podem ser:

– uma missão para melhorar o cuidado que idosos recebem no fim da vida

– ou uma missão de ensinar música a crianças de um jeito cativante

– ou uma missão de levar as melhores pizzas a clientes no norte de Liverpool ou no centro de San Diego.

– Conceber uma missão exige que descartemos uma atitude de servidão interna, em que imaginamos que apenas os outros têm o direito de planejar a própria vida – e todas as outras pessoas devem simplesmente se render a acidentes e caprichos aleatórios de patrões.

– Todos podemos e devemos ter missões.

Com uma missão em mãos, da próxima vez em que você estiver em uma festa, não precisará manter a conversa no nível de onde você trabalha – pode responder com relação à lógica fundamental do que está fazendo.

Você pode, sem um capacete com seu nome, anunciar legitimamente que está nesta Terra com uma missão a cumprir.

 

Recent entries